por Wilian Delatorre

Wilian Delatorre Personal Travel,
o seu agente pessoal de passagens com milhas e roteiros.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Las Vegas - por Celso

Pessoal, confiram a parte final desse relato sensacional.

LAS VEGAS- parte III- Final

Ficamos hospedados primeiramente por 4 noites no Wynn, o segundo melhor hotel da cidade segundo o Trip Advisor. Steve Wynn tem um complexo hoteleiro com duas torres, numa o hotel Wynn e noutra o Encore que externamente são idênticas, mas na decoração interior o Wynn é mais clássico, se é que podemos dizer isso. Minha reserva do apartamento mais básico do hotel incluía café da manhã, com diária de US$ 173, preço excepcional considerando-se o nível do hotel. Chegamos e no check in preparei o velho truque do uso de US$ 20 dentro do passaporte ostensivamente exibido e perguntei se tinha um upgrade de quarto free para mim.

Lobby do Wynn

Fomos brindados com uma suíte na Tower resort no 54 andar, cujas fotos são mostradas incluindo vista panorâmica da Strip com o campo de Golfe.

Vista do Wynn


Devidamente instalados formos conhecer melhor o Lobby, suas flores formando cavalos no carrossel e tantas outras ostentações da cidade do pecado.


Amanhece o dia e vamos ao café. Absolutamente nada supera o Wynn em quantidade em todos os hotéis que nos hospedamos no mundo. Com certeza não foi o mais saboroso, mas é delicioso e imensamente farto, que jamais alguém consegue saborear tudo mesmo ficando muitos dias. Algo inimaginável. A entrada com imensos arranjos florais já mostra a imponência do local ou os bolos artesanais na área de doces.



Você pode comprar sua Ferrari na loja do Lobby do Hotel, perto de um imenso balão de flores.......... lindo...............



Em Las Vegas nos divertimos que apesar dos exageros oferece espetacular rede de serviços a preços muito menores que nos demais centros americanos. Celine Dion atração fixa da cidade não estava se exibindo no Coliseu com seu show nas datas. Ficamos com a vontade, quem sabe um dia voltaremos. Mas era chegada hora de trocarmos de hotel para dormirmos uma última noite na cidade no Trump International, outro cinco estrelas. Antes vamos dar uma última apreciada na área de check out do maravilhoso Wynn resort tower que agora fica num local feliz da memória.

Checkout Area

Bem, atravessamos a Strip e fomos ao Trump International. Chegamos e somos triplamente surpreendidos. No hotel só há Valet parking cuja taxa já é incluída na Taxa resort Fee (inclui internet também, sendo obrigatória), não havia carregadores de malas e você tem que pegar suas malas levando-as do porta malas ao seu quarto. Se você aprecia prostitutas há farta entrada e saída com velhos ricos que vão a cidade participar de orgias também........ Ah, para terminar os hospedes mais ousados entram com travestis cheios de silicone para orgias sexuais ou quem sabe rezar nos apartamentos. Confesso que fiquei muito constrangido pela quantidade e frequência das duas situações. Na realidade, trata-se de um estabelecimento para prostituição 5*, onde sem nenhum pudor os hospedes entram para estimular a indústria do sexo, sob a fachada do nome hotel. Pedi um up grade de apartamento free, concedido de imediato, e também por coincidência fui para o 54 andar. A suíte era confortável, ampla, tendo fogão inclusive e cheiro de comida, pois provavelmente haviam derrubado comida no carpete da suíte. Esse hotel não nos deixou nenhuma saudade. Chegou o momento de pegarmos nosso carro e retornar pela monótona estrada a Los Angeles novamente.

Quarto do Trump International

Optei por sair bem, bem cedo, e mesmo num domingo no sentido LAS>LAX quando falam ser o transito infernal não peguei nenhum congestionamento e fomos almoçar no Sofitel LAX Beverly Hills onde fomos recebidos e de sobremesa um Creme Brulée delicioso em três versões. Aproveitamos Beverly Hills em muitos aspectos. Prepare o bolso e os olhos, pois a região é linda e cara, com inúmeras opções maravilhosas de tudo.


Sofitel LAX Beverly Hills

Agora estávamos no fim da viagem, voltamos ao LAX Airport e fomos noutro decepcionante lounge da United assim como o lounge no George Bush International Airport – IAH ( homenagem ao pai) em Houston de onde partiu nosso último voo para atingirmos Guarulhos.



Que Mundo Maravilhoso
Eu vejo as árvores verdes, rosas vermelhas também
Eu as vejo florescer para mim e você
E eu penso comigo, que mundo maravilhoso

Eu vejo os céus tão azuis e as nuvens tão brancas
O brilho abençoado do dia, e a escuridão sagrada da noite
E eu penso comigo, que mundo maravilhoso

As cores do arco-íris, tão bonitas no céu
Estão também nos rostos das pessoas que se vão
Vejo amigos apertando as mãos, dizendo: "como você vai?"
Eles realmente dizem: "eu te amo!"

Eu ouço bebês chorando, eu os vejo crescer
Eles aprenderão muito mais que eu jamais saberei
E eu penso comigo... que mundo maravilhoso

Sim, eu penso comigo... que mundo maravilhoso



E assim pousamos já com a vontade de chegar nosso reveillon em Bangkok, ou uma passadinha em Londres ou um tour em Abu Dhabi. Mas isso talvez possa relatar no futuro.
Abraço.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Rumo a Los Angeles - por Celso

Continuando o relato do Celso.

Rumo a Los Angeles

Decolamos de Montreal com o Canadá mais uma vez na saudade. Lembrava do gourmet e sofisticado mercado Les Halles du Petit-Cartier em Quebec e sua confeitaria ou do excepcional Coelho com duas mostardas com vinho tinto da Vignoble de l'Orpailleur Inc degustado no Le Lapin Sauté.


Coelho com duas mostardas

Confeitaria do Les Halles du Petit-Cartier

Chegamos ao aeroporto internacional de Los Angeles, no terminal de transbordo para pernoitar ao lado no Marriott LAX Airport. Esse imenso aeroporto requer longo tempo em voos de conexão caso você os tenha em função das suas dimensões e numero de terminais, mas isso não era nosso caso. Após longa demora, um shuttle imundo, com piso rasgado e poltronas com espuma afundada veio nos buscar para nos levar ao hotel. É vergonhoso que um hotel com a marca Marriott tenha um serviço sujo e tão longe do padrão da rede. Pernoitamos e a cama foi realmente gostosa. Pela manhã pegaríamos nosso Buick Lacroisse (categoria luxury car). Ao chegar à loja Hertz do próprio hotel, decidi jogar e ver se obteria um upgrade gratuito ou por valor muito menor que o que despenderia caso tivesse locado algo superior. Sem maiores delongas me foi oferecido uma perua Mercedes GLK 450, que recusei por ser muito grande, uma Corvette que adoraria, mas não pude aceitar pelo volume de bagagem que tinha e finalmente um Cadillac CTS- V, carro da categoria DREAM CARS.

Cadillac CTS-V

O upgrade foi fornecido por exatos 50 Obamas apenas! Peguei correndo (mas perto do Volvo S 80 ainda falta muito, muito mesmo). Começávamos nossa viagem, epa! Ao verificar o tanque do carro noto que esta com menos da metade de combustível, nunca tinha visto isso! Voltei à loja e foi feito um adendo no contrato relatando que o veiculo deveria ser devolvido com 3/8 de combustível no tanque. Fiquem espertos.
Agora sim, fomos a Rodeo Drive, ao The Beverlly Wilshire Hotel onde Richard Gere e Julia Roberts protagonizaram o clássico Pretty woman, um dos filmes mais assistidos pelas nossas mulheres....rsrsrs.....

Rodeo Drive

Fizemos uma longa exploração de Beverlly Hills por vários dias, mas nessa noite fomos dormir no Sofitel Beverlly Hills, nosso hotel também na volta de Las Vegas. O Sofitel Beverlly Hills é um 4*, considerado caro pelos leitores do Trip Advisor, entretanto tem serviços excepcionais e um staff espetacular.

Sofitel Beverlly Hills

Sofitel Amenietes e Welcome Drink

Voltaria sem pensar, inclusive com concierge eficientíssimo. Recebemos os mimos de hospede VIP com champagne e croissants como cortesia pois temos o nível mais alto de fidelidade no programa..... Defronte do Beverlly Center um mall com Macy´s , Bloomingdale´s, Apple e Ferrari store, etc....

Loja Ferrari

Voltando ainda a comentar sobre Beverlly Hills saibam que o destino tem seu charme e imponência. Suntuoso como o Principado de Mônaco tem oferta maior em quantidade. Foram dias muito agradáveis. Vale um retorno no futuro. As praias de Santa Barbara e Malibu são decepcionantes. Nada comparado às medianas do Brasil, quiçá a Floripa, Copacabana, .....
Fomos ao agradável shopping The Grove onde almoçamos no The Cheesecake Factory, com ótima relação custo beneficio e onde você pode ver que no banheiro público há toalhas quentes para enxugar sua mão e no banheiro feminino público minha esposa se deliciou com balinhas que todas podiam pegar a vontade. Ao lado desse shopping há o Farmers Market, um mercado com mais de 100 estabelecimentos onde tudo pode ser degustado, fresco e com que sabor. Tomamos cervejas artesanais deliciosas........... Esse passeio é muito gostoso.
Era chegada a hora de irmos a Nevada e conhecer Las Vegas. O Cadillac percorreu a I-15 e em vários pontos havia sinalização de velocidade controlada por radar EM AERONAVES. Não foram poucos os veículos que as patrulhas obrigavam a estacionar por provável excesso de velocidade. No trajeto não há absolutamente nada de interessante, poucos postos e combustível muito mais barato em Nevada do que na Califórnia. Chegamos a pegar 113 F em Maio, portanto Vegas requer evitar o verão, pois deve ser insuportável.

Isso contarei na última parte...........


segunda-feira, 14 de julho de 2014

Road Trip - Estados Unidos & Canadá - por Celso - Continuação Parte I

continuando....
TORONTO - MONTREAL - QUEBEC - LOS ANGELES - LAS VEGAS - parte I/III


Fomos direto ao terminal da Hertz para pegarmos o Mercedes C 300 que aluguei. Reserva confirmada carro não disponível. Após alguns minutos o funcionário informara que não tinham o carro preto solicitado muito menos o Mercedes! Trouxe o gerente da loja e fomos ao estacionamento onde me foi oferecido um Chrysler C 300 preto. Disse que não aceitaria, pois isto era um downgrade de carro. Então me foi oferecido um seda Volvo S 60. Disse que seria pequeno pelo meu volume de bagagem (blefe). Então me foi oferecido uma perua Volvo V 60. Eis que olho de lado e vejo um Volvo S 80 T 5 branco. Perguntei sobre este veículo e fui informado que ele tinha chegado naquele dia e ainda não tinha sido locado! Pensei que chato! Delicadamente informei que gostaria desse carro. Fui informado que diante do ocorrido teriam que me dar o S 80, mantendo todas as condições inclusive devolução em Montreal. O carro tinha 15 km. e foi devolvido com 2700 km.

Volvo S 80 T 5

Esse incrível carro, com controle de temperatura dos bancos, ar condicionado individual digital, sensores de veiculo lateral, câmera traseira, sensor de piloto automático e tudo que você puder imaginar, num leve toque no acelerador atingiu 160 km/h num descuido meu. Se você não guiá-lo obrigatoriamente no piloto automático, sempre ultrapassará em muito o limite máximo de velocidade, o que pode lhe gerar sérios problemas. Velocidade máxima em auto estrada no Canadá – 100 km/h. E foi com ele que nos dirigíamos ao Hotel Ritz Toronto, o segundo melhor de Toronto e uma referencia mundial em hotelaria.

Hall do Hotel Ritz Toronto

O serviço é impecável, os funcionários altamente treinados, polidos e com preços igualmente intensos como a atmosfera de glamour que existe no local. Não oferecem nenhum mimo ao hospede. Tudo é cobrado. Foi minha primeira hospedagem na rede Ritz, mas considerando o custo e o benefício não seria minha primeira futura opção. Mesmo assim foi glamouroso.

Quarto do Hotel Ritz Toronto

Terminando nossa visita a Toronto que já conhecíamos, iniciamos nosso tour pelo Canadá. Colocamos o S 80 T 5 na estrada. Chegamos a Rockport para fazermos o cruzeiro pelas Mil Ilhas, com duração de 1 h, existindo outras opções. Colocamos de volta o S 80 para atravessar a província de Ontário indo até Quebec City em Quebec. Os 800 km entre Toronto e Quebec foram imperceptíveis pelo conforto do veículo, numa estrada sem grandes atrativos, com áreas de conveniência e abastecimento na pista a cada 40 km em media, indo pela E 501 e Autorote 20. No Canadá há farta oferta de Wi-Fi free em múltiplos estabelecimentos e em áreas públicas, inclusive Edmonton em Alberta tem downtown totalmente coberto por Wi-Fi. Não há necessidade ou obrigatoriedade de comprar chip local no Canadá.

Fairmont Chateaux du Frontenac

Chegamos a medieval Quebec City, que já na periferia não tinha nenhum papel no chão na rua e o charme dos locais tem outro colorido quando você fica no icônico hotel Fairmont Chateaux du Frontenac.
Chegamos ao hotel e solicitei um quarto conforme pedido na reserva perto do elevador. Ouvi esta sequencia de palavras> Não dispomos no momento de um quarto perto do elevador como solicitado, entretanto lhe daremos hospedagem no padrão Fairmont Gold sem custo. “ E que benefícios inclui o padrão Fairmont Gold?” O Sr. terá direito a Breakfast diariamente, com acesso ilimitado e gratuito ao nosso lounge ( excluindo bebidas alcoólicas ) e acesso ilimitado a internet com 8 Mb. de velocidade de conexão. Como assim, o café da manha será gratuito? Sim, o Sr. recebera tratamento Fairmont Gold! (Num primeiro momento nem acreditei, rsrsrsrs ). O inocente ainda perguntou se eu aceitaria!!! Rsrsrsrsr
Check-in Frontenac


Vista do Frontenac

Deixamos Quebec encantados com sua beleza e limpeza, um destino que vale a pena conhecer. Fomos a Montreal pela autorote 40, muito mais deserta que a autorote 20, com postos muitas vezes fora da pista, porem o silencioso Volvo S 80 sobrava em potencia para rapidamente percorrermos algo como 240 km em estrada muito conservada.

Chegamos a Montreal e nos hospedamos no Sofitel, cujo breakfast só pode ser solicitado através de combos onde você é obrigado a pagar por algo que não deseja ( tem ovo em todos os combos) e com custo acima da média.

Apto do Sofitel

Jantamos uma única noite no hotel, com serviço Frances e preços muito acima de outros hotéis da rede Sofitel que nos hospedamos. Não indico este hotel. Hotel limpo, com staff eficiente, mas custos anormalmente altos para o hotel que neste caso é um 4*.
Montreal tem nas fotos algumas atrações exibidas e o maior shopping Center subterrâneo do mundo com 15 km. de extensão e mais de 4.000 lojas, UNDERGROUND CITY.

Underground City

Conhecer foi bom, mas um destino de visita única. Sua melhor atração é sem dúvida o BIODOME.
BIODOME

Catedral de Notredrame

Circuito Gilles Villneuve

Chegou a hora de deixarmos Montreal e devolver o Volvo no aeroporto YUL – Pierre Eliot Trudeau que fica em Dorval, mas voltaríamos a voar com a Air Canada, uma empresa de padrão superior e de longe a melhor de toda América do Norte. Nosso lounge era no terminal de transborder (somente voos US-CANADA), mas mesmo assim havia farto Buffet com bebidas Premium a vontade e conexão com a internet de 8 Mb.


O lounge tinha estrutura imensamente superior a qualquer dos lounges da United. Enfim era chegada a hora de deixarmos mais uma vez o Canadá, um pais com povo polido, gentil, receptivo ao turista. Canadá é sinônimo de limpeza e viagem espetacular. Visite o Canadá e de um upgrade na sua vida. Em breve voltaremos ao Canadá na exuberante British Columbia. Decolamos num A 319 rumo a Los Angeles em voo de 6 horas, em classe executiva, numa poltrona que reclinava pouco, mas com serviço de catering que tornou menos cansativa a viagem. Na segunda parte relatarei a chegada ao Aeroporto Internacional de Los Angeles e o desenrolar da viagem.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Road Trip - Estados Unidos & Canadá - por Celso

Olá pessoal!
O experiente viajante Celso nos apresenta mais um excelente relato da sua última Road Trip.
Essa vez ele viajou com sua esposa para o Canadá e Estados Unidos.
Aproveitem!!!

TORONTO - MONTREAL - QUEBEC - LOS ANGELES - LAS VEGAS - parte I/III

Começamos a viagem, lembrando que viajar é correr riscos e colher prazeres.

Costumeiramente deixo meu carro num estacionamento particular perto do aeroporto sempre na unidade 1 que tinha fechado e agora somente operavam a unidade 2 a qual não conhecia. Na última hora optei por ir com outro carro que tenho e usei um GPS antigo que não era do carro e não seria o GPS de viagem. Proei o endereço. Como sempre vou com grande antecedência no dia aos aeroportos.
Para minha surpresa chego ao endereço e não havia o estacionamento. Inacreditável mas Guarulhos possui duas ruas com nomes homônimos! Apesar de sempre carregar mapas dos lugares que irei impressos, jamais imaginei isso e não levei um mapa impresso em caso problema. Falha minha. Agora o horário ficará apertado e fui a um estacionamento próximo de Cumbica onde o custo final foi mais de 50% do estacionamento que tradicionalmente utilizo. Comecei contornando um contratempo.

Feito o check in fomos ao lounge da United em Guarulhos.

Lounge da United - Aeroporto de Guarulhos

Buffet da United Lounge

O lounge merece imenso destaque. Durante as 3 horas que permanecemos o mesmo estava tão cheio o tempo todo que é difícil sentar. A internet WI FI não funciona e comunicada por vários passageiros diziam que iriam "resetar" a rede e mesmo assim nunca funcionou! Os chuveiros são bem modestos com produtos simples e o buffet é nitidamente o pior de todos os lounges que conheço em Cumbica, sendo inclusive pior que o da sala Smiles. A seleção de bebidas alcoólicas é sofrível. Esse lounge serve sem divisão passageiros da executiva e First causando inclusive intensas reclamações de passageiros da FIRST CLASS. United trata de forma inaceitável o passageiro que a remunera melhor para acessos a classes superiores. Não voltarei a voar United.

Chuveiro do Lounge United

Iniciamos o embarque para ocuparmos os assentos 1A e 1B no velho 763ER, reto fitado com assentos Ottoman , full flat 180º, que nos levaria a Houston após 10.30 h de voo. O destaque foi um comissário dedicado e excepcionalmente amável que tornou nosso voo muito prazeroso, mas por imenso esforço desse comissário.

Assentos da aeronave 763ER - United

Chegamos ao bonito, limpo e bem projetado aeroporto IAH para conexão com intervalo de 1.40 h num 752 rumo a Chicago-ORD. Conexão bem apertada em termos de tempo, com imigração e re-despacho de malas. Nesse voo em executiva, os assentos eram semelhantes ao do 763ER, mas o serviço de bordo era horroroso, a comida intragável inclusive deixamos mais da metade no prato e as aeromoças tinha aspecto tão ruim que pareciam dragões pré históricos.
Chegamos a Chicago-ORD aeroporto sede mundial da United e fomos ao lounge de classe executiva aguardar o voo seguinte a Toronto com grande expectativa.
Inacreditavelmente ridículo, ofereciam somente água , café, umas bolachinhas , maças e bananas bonitas , alem de cookies tipo Subway. Mas tinha um imenso bar onde pagando por tudo até uma cerveja poderia ser adquirida pelo passageiro de classe executiva! A rede Wi-Fi , ridícula de 1 MB. de velocidade máxima. Solicitei workstation para comunicar-me recebendo documentos e fui informado do local, só rindo.

Destaque para o teto da sala todo quebrado, demonstrando relaxo na manutenção. Na realidade a United saiu do chapter 11 sendo adquirida pela Continental e impondo imensa restrição de serviços mantendo tarifa. Gestão semelhante a da Gol cujos resultados são ano após ano conhecidos- prejuízo no balanço.

Lounge - ORD - Chicago




Saímos do lounge e fomos ao A320 para embarcar para Toronto em classe executiva. Nesse voo curto de 1.30 h, o serviço foi ainda PIOR! Chegamos a Toronto.

Continua....