por Wilian Delatorre

Wilian Delatorre Personal Travel,
o seu agente pessoal de passagens com milhas e roteiros.

sábado, 26 de dezembro de 2015

Como definir o tempo de permanência nos destinos por Celso

Olá pessoal !!!
Tudo bem?

Segue mais um artigo do Celso. Tema de hoje: Como definir tempo de permanência nos destinos. Desfrutem.



Escolhido o destino após afastar todas as variantes indesejadas, planejamento de rota feito, vamos a um item personalíssimo. O tempo de permanência no destino pode variar muito segundo os desejos específicos de cada viajante. Indo a Auckland um amante da vela querendo velejar irá esticar a permanência, se gosta de esportes radicais a Nova Zelândia é o paraíso, se aprecia moda Paris terá longa permanência, design em outros locais e assim por diante.

Começo minha pesquisa pelo Tripadvisor que me serve somente como referência inicial do que fazer no local, suas atrações e peculiaridades dando algum valor a nota média das avaliações do local somente quando numericamente estas avaliações são estatisticamente significativas. Em seguida voo ao site de turismo do país, da região ou da cidade, e também coleto informações dos destinos que gostaria vistos no Tripadvisor ou que aparecem no site do local.

Na Nova Zelândia é este: LINK para pesquisa Nos sites de turismo dos respectivos países descarto qualquer avaliação das atrações que venham a fazer. Lembro-me bem dos Australianos falando que a Great Ocean Road era uma das 10 estradas mais maravilhosas do mundo. Quando na realidade é bonita, nada mais! Foi uma imensa decepção.
Macau

Feita essa avaliação inicial, vou colhendo informações e as salvo num arquivo do Word. A seguir, continuo coletando informações do que me interessa nestes sites:
(vou colocar em forma de texto, escolham os links copiando e colando)

http://www.nytimes.com/section/travel , http://en.arrivalguides.com/en , http://edition.cnn.com/travel , http://www.cntraveler.com/travel-inspiration?src=concierge , http://www.gogobot.com/ , http://www.minube.com.br/ , http://www.mydestination.com/ , http://www.travelchannel.com/ , http://www.10best.com/destinations/ , http://www.theguardian.com/travel , http://www.travelfish.org/ , http://www.travelpulse.com/ , http://www.travelmuse.com/ , http://www.virtualtourist.com/, http://www.worldtravelguide.net/ , http://www.travelpulse.com/ , http://www.roughguides.com/# , http://travel.nationalgeographic.com/travel

Neste momento você pode achar que há exagero no número de sites para pesquisa. Mas este número pode eventualmente ser até pequeno. Na última viagem entrei nos Emirados Árabes Unidos por Sharjah que é um dos 7 Emirados e é a capital cultura dos Emirados. Pois bem, vocês não imaginam a dificuldade que foi encontrar informações de Sharjah. Todos os sites acima têm abrangência mundial, ou representam o que há de melhor em informação de uma região, ou colaboram com imagens e vídeos para dirimir dúvidas de pesquisa de informações. Viajar para Paris é muito diferente que viajar para Ko Phi Phi Don. Na primeira há uma infinidade de informações, parâmetros claros e estatisticamente validos para optar por uma avaliação ou outra, etc. Nessa praia paradisíaca onde Leonardo Di Caprio protagonizou “The Beach” a quantidade de informações e a precisão de avaliações é muito menor. Quando eu me deparo com esta situação de poucas informações do local faço uso de Google, mas com o máximo de precisão, conforme instruído aqui:
Pesquisa Eficiente

Aproveitando já que estamos falando de pesquisa uma ferramenta muito útil em alguns momentos é esta Link
Imagine que você precisa acessar qualquer site e não consegue. Entre nesta ferramenta digite o nome do site e saberá se o site está com problema ou se o problema é na sua máquina/navegador/etc.. Isto é importante pois alguns sites podem não aceitar operar com o seu navegador ou sistema operacional e você fica tentando, tentando, e não consegue realizar a operação. Eu abandonei o Google Chrome e o Opera por não darem mais suporte atualizado ao Flash Player o que é necessário em muitos sites.

Amsterdam

Com tudo o que me interessa selecionado num arquivo do Word, incluindo o horário preciso de abertura e fechamento da atração, o dia da semana que não funciona, se possível o tempo gasto para conhecer o local, começo a ver avaliações das atrações. Atrações com avaliações próximas da unanimidade e quem são de nosso interesse serão obrigatoriamente visitadas. As atrações com avaliações discrepantes requerem pesquisa de avaliação via Tripadvisor, com método que já tinha explicado em outro post. No mundo cristão muitas atrações fecham nas 2@ feiras, no mundo Islâmico as 6@s (lembrar do período de Ramadã). Alguns destinos turísticos estão quase que totalmente fechados fora de temporada (Ilhas Gregas ou Punta de Leste). Uma vez que tudo está selecionado vou ao Google Maps e coloco cada atração num mapa para evitar deslocamentos em 4 atrações seguidas nos 4 extremos cardeais de uma cidade. Agrupo se possível atrações por proximidade. Pronto, já sou capaz de montar um roteiro e ter uma ideia de quanto tempo ficarei na cidade. Aqui um alerta, para evitarmos erros comuns. No dia da chegada e da partida evito programação intensa e se possível, no primeiro, procuro ficar próximo do hotel. Outro alerta importante é saber com precisão o tempo de deslocamento no dia e horário que partirá para o aeroporto junto ao pessoal do hotel, entrando inclusive no site do aeroporto informando-se sobre obras no entorno. Sempre, no mundo inteiro, projeto estar no interior do terminal de passageiros do aeroporto para fazer o check in com 4 horas de antecedência do horário de partida previsto do voo. Nunca perdi um voo, mas em pelo menos umas duas ou três vezes só fiz o check in por estar em classe superior se fosse na fila única da classe econômica perderia o voo com certeza. Nem todo aeroporto é pequeno com fácil acesso.

Sydney Opera

Se você tem dificuldade com o idioma inglês, o uso de tradutores relativamente eficientes podem lhe auxiliar:

http://tradutor.babylon.com/ingles/portugues/ , https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR , http://www.worldlingo.com/products_services/worldlingo_translator.html , http://www.online-translator.com/

Agora que já sabe quantos dias ficar, que tal colorir sua viajem com comida Gourmet?
Se quer saber onde comer bem no mundo inteiro, siga este site First Bite TV ou este brasileiro Gastrolandia
Mas há fóruns específicos de avaliação de restaurantes, veja isto : LINK as reservas podem ser feitas diretamente no site do estabelecimento, ou usando o Concierge do seu cartão de Crédito que não terá custo pelo serviço.
Eu tenho alguns blogs que sigo servindo inclusive de fonte de informação e vou enumerá-los indicando o motivo de cada um:

http://www.aluxurytravelblog.com/ - Este site traz informações que leio e quando relata algo do próximo destino que pretendo ir, seleciono num anexo.
http://grantourismotravels.com/ - Este espetacular site traz informações do mundo inteiro. Vale a pena a leitura.
http://www.groundedtraveler.com/ - Apesar de residente na Alemanha, fonte maior de informações, o autor mostra com riqueza muito do mundo e de sua experiência.
http://gutsytraveler.com/ - Variedades com informações dos mais diversos destinos e com ótica feminina.
http://www.urbantravelblog.com/city-breaks/ - Nos destinos publicados há informações de experiências reais e não encontradas com facilidade na net.
http://www.worldofwanderlust.com/ - Muito rico em informações de qualidade do mundo todo. Vale a pena.
http://gadling.com/ - Completo e maravilhoso.
http://www.justluxe.com/ - Para sonhar e quem sabe....
http://www.luxurytravelmagazine.com/ - Para conhecer o excepcional....
http://www.luxurytravel.com/locations/ - o que existe de melhor....
http://www2.wayn.com/ - muita informação dos destinos...
guias mundiais pagos com versão on line gratuita (com algumas limitações), mas ainda assim muito uteis:
http://www.fodors.com/
http://www.frommers.com/

Wellington Train Station

Com estas informações você já definiu de forma segura o tempo de permanência em cada destino e no destino os caminhos/rotas mais curtas, ou mais rápidas e mais bonitas que fará para visitar os locais.
Pode ainda lhe persistir alguma dúvida sobre um local e visita-lo com imagens pode lhe ajudar a decidir. Apesar do afamado Google Earth utilizo este que no meu entender é muito mais completo não precisar ser baixado, Show My Street .
Erros comuns ao definir permanência é desconsiderar a época exata da viagem, lembrando que o clima interfere inclusive nos horários de funcionamento das atrações e programar idas a atrações fechadas por não ter exato conhecimento dos horários de funcionamento.
O GPS veicular – Em pelo menos 2 situações o GPS veicular foi equipamento de viagem ineficiente. Tenho locado carros que com frequência tem GPS on board, entretanto tais GPS não estão obrigatoriamente atualizados e você pode ter inúmeros problemas com isso. Leve sempre seu GPS. Utilizo um GPS Garmin e em todas viagens com os mapas atualizados foi plenamente eficiente. Não tenho experiência com GPS no i phone e parece existirem buracos na recepção do sinal o que tornaria o equipamento ainda ineficiente em muitas rotas além de precisar de chip especifico do local onde irá se deslocar para aquisição dos dados.
Em 3 situações o GPS causou-me transtornos. Indo de Nice para Mônaco, ao chegar em Mônaco tive queda de sinal no GPS do carro. Por sorte liguei meu GPS e consegui chegar no local reservado em tempo. Nos Emirados o GPS do carro estava totalmente desatualizado apesar do carro ser novo e perdi inclusive uma visita a uma atração. Em Sydney estava com o GPS e no dia do Réveillon o centro de Sydney tem bloqueios policiais e só poderiam ser ultrapassados com credencial que tinha. Mas num determinado ponto um policial não me permitiu seguir por aquele trajeto e o GPS somente me informava tal rota para atingir o destino. Sempre levo mapa impresso dos pontos mais importantes do destino. Proei um outro local no GPS para conseguir atingir o ponto que queria e então o GPS me auxiliou fornecendo outra rota. Portanto, mesmo com GPS tenha um plano B com um pequeno mapa impresso em casos de imprevistos.
Combustível – procuro sempre que o tanque chega a metade já abastecer para evitar imprevistos. Embora antes da viagem saiba informações precisas (incluindo limites de velocidade) no site do pais sobre o transito em rodovias. Entre Sydney e Melbourne são aproximadamente 1.000 km. pela estrada mais rápida e num trecho de 160 km não há nenhum posto na rodovia. Há regiões no deserto Australiano que a distância entre postos é de 400 km. portanto informação é fundamental.
Comida no carro- num país como o Canadá onde a cada 40 km na estrada em muitos territórios há postos com áreas de conveniência superequipadas é totalmente desnecessário. Entretanto, entre longas distancias em áreas pouco povoadas ou em países cujas condições de higiene não sejam exemplares, que tal ter água e alguma guloseima embalada no interior do carro em caso de imprevistos.

O post do próximo mês será como reservar hotéis, passeios e carros.