por Wilian Delatorre

Wilian Delatorre Personal Travel,
o seu agente pessoal de passagens com milhas e roteiros.

sábado, 16 de julho de 2016

Demais reservas de toda viagem excluindo voos, o que fiz e como fiz. Por Celso

Bom dia pessoal. Continuando o relato do Celso.

Nova Zelândia


Temos que ter em mente que iremos a dois destinos totalmente diferentes e extremos em termos de gosto. De um lado a Nova Zelândia um país agrícola, onde a pecuária tem peso no PIB, pouco povoado, com paisagens deslumbrantes, estilo de vida onde ser é mais valorizado que ter, país dos esportes radicais, do contato íntimo com a natureza. Do outro, iremos aos USA, em especial a Califórnia e ficaremos em Beverly Hills, a meca do consumo e futilidade. O que cada destino tem a nos oferecer e agradar será nosso desafio explorar. Viajar a Oceania requer preparo e planejamento muito maior que uma viagem a Orlando, por exemplo. A começar das informações disponíveis serem muito menos fartas e das diferenças culturais encontradas. Tenha em mente que tirando talvez as 6 maiores cidades da Nova Zelândia, não é provável encontrar hotéis de alto padrão. O Neozelandês hospeda-se muito em motéis, que quando avaliados como de luxo (4*) não são melhores que os quartos de um Holiday Inn, limpo, mas com mobiliário ultrapassado e decadente. Imagine os inferiores! Nesse país com baixa densidade demográfica na Ilha Norte e mais ainda na Sul road trips noturnas não parecem muito adequadas e animais nas estradas são comuns. Antes de iniciarmos a viagem há necessidade de providenciarmos o VISTO DE TRANSITO pela AUSTRALIA. Todo cidadão brasileiro necessita de visto para embarcar rumo a Austrália. O visto Australiano é totalmente eletrônico e vem no seu e-mail. Preencha o formulário e envie obrigatoriamente para a embaixada em Brasília. Cidadãos brasileiros que permanecerão MENOS que 72 h em território australiano, com bilhete confirmado de chegada e saída, são candidatos a obter o visto de transito (NÃO COBRAM TARIFA SOMENTE POR ESTE VISTO). Atente que o visto é condicionado ao seu nome e número de passaporte. Obtido o visto se seu passaporte vencer é obrigatório reiniciar o processo, pois novo número de passaporte não lhe permite embarque com o visto concedido anteriormente. Portanto, renove antes seu passaporte. O visto é válido para múltiplas entradas no período concedido, entretanto todas as entradas e saídas devem estar documentadas e tais documentos enviados previamente a solicitação do visto. Você nem embarque consegue se no sistema da companhia aérea ou fluvial não estiver seu visto. A Austrália pune com rigor embarque de passageiros por empresas fora do padrão exigido. A última vez que solicitei visto Australiano ele foi concedido no meu e-mail em menos de 24 h! Não solicite qualquer visto antes de 11 meses da data de retorno da viagem. Muitos países limitam a validade do visto de transito há 12 meses da data da solicitação. Desta vez os vistos foram concedidos com 48 h do envio do Sedex a Embaixada em Brasília. Entretanto, ao tentar imprimir o meu visto que estava em e e-mail diferente do da minha esposa, misteriosamente o mesmo sumiu! Saiu da caixa de entrada, não estava nos itens excluídos, não estava na lixeira e nos arquivos .pst (corrompidos e armazenados). A saída foi ligar na embaixada e forneceram um e mail para solicitar o reenvio o que ocorreu em outras 48 hs.. Isto nos leva a outro ensinamento, solicitar visto com antecedência suficiente, sempre.
Passaportes- Neste item esteja atento a grandes contratempos. Ora a Casa da Moeda não emite passaportes suficientes, ora o sistema da Policia Federal está fora do ar, ora, ora, .... Evite contratempos, tenha um passaporte valido por no mínimo 6 meses da data do retorno da viagem ou emita um novo com 180 dias da data do embarque, o que é suficiente para transtornos de toda ordem e embarcar na data que deseja. Eu mesmo estou aguardando meu novo passaporte cujo prazo de entrega neste momento foi dilatado de 5 para 30 dias.
Seguro viagem- Se você for imprudente faça seguro de viagem obrigatoriamente! Se for prudente faça uma apólice de alto valor. Lembre-se que seu cartão pode lhe oferecer tal benefício com custo já embutido na anuidade.
Liberar cartões para uso no exterior antes do embarque é desejável. Tenha fácil na nuvem os números de emergência de todos os serviços que pode eventualmente necessitar.

AMAZON - produtos com preços sem oscilações ou sujeitos a promoção compro na Amazon, com antecedência e solicito envio direto ao hotel. Não perco tempo no destino e economizo com outras despesas. Consulto hotel SEMPRE se recebem e cobram taxa para guardar e informo data do meu check in. No pedido da Amazon há um campo onde sempre escrevo: “ THE GUEST ARRIVE IN ........”

GPS NZ – Leve seu próprio GPS e atualizado! Mesmo que no carro locado tenha GPS! Não faça como eu que aluguei um Lexus com GPS on board nos Emirados Árabes que apesar de novo estava com mapas totalmente desatualizados. Que sofrimento! Para a Nova Zelândia especificamente, se você tiver GPS GARMIN este site lhe oferece mapa gratuito, veja isto: http://gwprojects.org/forum/viewtopic.php?f=16&t=700 ou neste site mapas do mundo inteiro gratuitos para GPS GARMIN: http://garmin.openstreetmap.nl

Smartphone-
Leve seu telefone para inclusive registrar fotos ou pequenos vídeos. Caso vá adquirir um novo, o que é permitido sem impostos alfandegários, lembre-se de retirá-lo da caixa. Para gozar da isenção do imposto ao menos um dos membros do seu grupo deve ter ido sem smartphone ou descartado o velho ainda no exterior. Lembre-se de limpar todas as fotos que ocupam espaço no dispositivo, antes de iniciar sua viagem. Eu não compro chip de dados onde tenho viajado pois acho totalmente desnecessário e nos hotéis que me hospedo sempre tenho wi fi gratuito, quando não ultra veloz. Wi fi em todo mundo está se popularizando e em alguns países a tecnologia Li Fi chegará com força, transmitindo facilmente 1 GB/s (isso mesmo, você não leu errado).

O que talvez você nunca imaginou ou não saiba!
1- No ano passado o site Orbitz rastreou atividades online das pessoas para testar uma pequena experiência: usuários do Mac gastam mais em viagens do que os usuários de PC? Acontece que, em média, os usuários de Mac gastam $ 20 a $ 30 por noite em hotéis e optam por alojamento em mais estrelas, de acordo com o Wall Street Journal. Como resultado, o site de viagens online mostra para esses diferentes usuários opções de viagem mais caras, em primeiro lugar. Para evitar inadvertidamente pagar mais utilize um PC em cotações
2- A reserva garantida é quase impossível de encontrar, mas o risco de descobrir que seu voo ou hotel está lotado aumenta com provedores de terceiros. O software do intermediário não está imune a erros do sistema, por isso sempre ligue para o hotel ou a companhia aérea para se certificar de sua reserva foi processada. Confirme em Check my trip, Virtual there, na própria rede hoteleira, etc.


Iniciamos rumo a Londres, Bangkok, Sydney e chegaremos em nossa primeira parada entrando na Nova Zelândia pela sua maior cidade na Ilha Norte, Auckland, conhecida como a cidade das velas (veleiros). A capital Wellington, conhecida como cidade dos ventos, está no extremo sul da Ilha Norte. Chegaremos num final de tarde e também decolaremos de Wellington num final de tarde. Há farta disponibilidade por vários meios de transporte entre os aeroportos de AKL e WLG, rumo a downtown e vice-versa, com preços justos, lembrando que estamos num pais pouco populoso e cidades pequenas, sendo Auckland a maior com 1,5 milhão (2015). Auckland tem custo de vida 77% superior ao de São Paulo (http://www.numbeo.com/cost-of-living/city_result.jsp?country=New+Zealand&city=Auckland ), o índice de crimes 43% contra 75% de São Paulo. As demais cidades da Nova Zelândia têm menor custo e criminalidade.


Optei por locar no aeroporto o carro que nos levaria depois de AKL a WLG cortando quase toda ilha norte. Das várias locadoras na Nova Zelândia, com preço muito inferior e carros não tão novos e com 650 km entre as duas cidades optei por locar com a Europcar. Uma Tracker, por 6 dias com preço final de 416NZD. Na escolha pesou: 1-) Permite locação one way sem cobrar taxa de retorno do veículo, 2-) Road Assistence 24 h em caso de pane no veículo, 3-) Veiculo novo, 4-) Loja de retirada e devolução DENTRO do aeroporto e ainda com o ticket discount que obtive era o melhor preço dando pontos em dobro num programa de fidelidade que sou associado. As estradas na Nova Zelândia são de pista simples, exceto no entorno de Auckland e há controle rigoroso do excesso de velocidade cujo limite máximo é 100km/h. Só é permitido locar veículos clientes com mais de 25 anos. Prepare-se para baixas velocidades médias nas estradas, pois a maioria é muito sinuosa. Wi fi é fartamente disponível. Tenho notado com certa frequência ao locar veículos, em muitas locadoras, há preço decrescente até uma proximidade da data de locação, quando passam a subir o valor novamente. Realizo várias simulações de reserva e normalmente o preço final atinge uns 30 % a menos do maior inicialmente encontrado. Vale a pena em longas locações. Auckland tem poucos hotéis 5*e iríamos nos hospedar no Sofitel Viaduct Harbor. Não tem executive lounge. Reserva pós paga custou 1395NZD (924USD) no período e ganharia pontos pela fidelidade com meu cartão Platinum (na rede Sofitel seria algo como uns 7% do valor). Já feita a reserva pós paga, recebo um e-mail da Kaligo que reservando até tal data receberia no Executive Club da British Airways um bônus de 5000 avios fora o que eles creditam em tempos normais. O preço 591USD pelo mesmo período com bônus de 6.800 avios (valor de 105USD), mas pré-paga. Cancelei a reserva e fiz nova reserva com a Kaligo, pré-paga, mas cancelável sem multa até próximo do início da hospedagem. Todos os passeios desta viagem que não necessitem reserva serão pagos em cash no local. Este site pode lhe ser muito útil na escolha de um hotel e na decisão de locar ou não carro. https://www.walkscore.com/score/ , após acessar o site, digite o endereço de seu hotel e aparecerá um score indicando proximidade de transporte público, trafego no local e acesso ao local com transporte público nas abas. Londres onde o transporte com táxi é caro conhecer a proximidade de seu hotel ao transporte público pode gerar grande economia. Conhecer a qualidade do transporte público no seu destino então nem se fala! Antes de chegar na Nova Zelândia a primeira surpresa ao turista. Viajaremos somente com USD+cartões. O programa FF da Qantas é parceiro da Travelex que oferece generosos pontos em câmbio de moedas. Acontece que a taxa de cambio é imensamente desvantajosa tanto em Sydney como no Aeroporto de Auckland. Para ganhar uns pontinhos há prejuízo no câmbio em uns 10% do valor real no dia. Cuidado. Farei cambio no centro de Auckland. Os hábitos do povo da Nova Zelândia são diferentes do nosso. A maioria do comercio fecha as 5pm, incluindo padarias. O povo tem hábitos predominantemente diurnos. Poucos aeroportos tem voos noturnos e no interior das ilhas os voos domésticos não ultrapassam as 10 pm. Existem sites que oferecem preços muito reduzidos para serviços de última hora ou próximo a data para a atração desejada: http://new.grabone.co.nz ,https://www.bookme.co.nz/bookings Neste caso, a compra antecipada é imensamente vantajosa e será feita quando a oferta atingir as datas que estaremos lá. Anteriormente aquela promoção dos 5.000 avios, a Kaligo via e-mail faz outra promoção onde somente para a primeira reserva haveria bônus de 3.000 avios mais a pontuação normal oferecida em qualquer dos parceiros da Kaligo. Reservei e ganharei 3.300 avios pelo Novotel em Hamilton, onde só pernoitaremos para no dia seguinte ver as cavernas de Waitomo.Tinha um problema a resolver antes de deixar Auckland. Minha bagagem. Nos voos em classe superior não havia problema, mas nos voos intra ilhas gastaria quase USD 200 pelo excesso de peças, apesar de estar com pouco peso. A ideia inicial seria deixar parte das malas no Luggage store do aeroporto. Impossível, pois o preço é proibitivo nos aeroportos onde passarei. A saída foi fazer uma reserva de um pernoite no Novotel Auckland Airport e deixar essas malas antes de deixar Auckland rumo ao sul e só pegá-las na volta antes de deixar o país, pois eles não tarifam este depósito existindo reserva futura confirmada. Em Wellington o Sofitel será inaugurado em julho de 2016 e nossa reserva na capital foi feita diretamente no site da Accor com o melhor preço na Net. Não tem executive lounge.


De Wellington voaremos a Queenstown no Sul da mais intocada Ilha Sul, num A 320. A Air New Zealand tem voos intra e interilhas em muitos casos com aviões menores ATR e mesmo menores o que não aceito voar. A Jetstar tem voos domésticos e outras voam internacional como Emirates, Qantas, Air New Zealand, Singapore, Cathay, Thai, United, Chinesas, Korean, etc. principalmente pousando em Christchurch ou Auckland. Existem 4 passeios de trem panorâmicos festejados, nós faremos somente o Transalpine. Um passeio turístico muito recomendado é cruzar com Ferry da ilha norte a ilha sul ou vice-versa, conhecendo o Estreito de Cook, numa travessia de 4 horas. Em função de tempo e como já iriamos ver inúmeras paisagens exuberantes optamos por voar entre as ilhas. No verão o clima em Auckland será ameno. Temperaturas próximas a de Buenos Aires em Queenstown. Não pegaremos neve no Sul da Ilha Sul. Chegando a Queenstown tive que equacionar alguns problemas. Alugaria um outro carro para conhecer o Milford Sound, uma das maravilhas da Nova Zelândia, que ficava a Oeste e deixaremos o carro em Greymouth a 600km ao norte, onde pegaremos o trem TransAlpine até Christchurch no Leste, viagem 4 h montanha abaixo. A locação de um Cruze foi feita na Buget, pois era a única que não cobrava taxa de retorno na locação one way nessa rota e tinha preço muito vantajoso. Nunca aluguei carro na Buget. Agora para reflexão, um fato no mínimo curioso. Fala-se muito da conduta politicamente correta dos Neozelandeses. Lá parece que ser é muito mais valorizado que ter. Eis que me deparo com algo nunca visto por mim. Quando você vai comprar os bilhetes do trem TransAlpine que normalmente são vendidos em 3 tarifas diferentes entre 179 e 239 NZD por passageiro, eu me deparo com uma informação. Se você comprar num computador cujo IP está fora da Nova Zelândia somente esses preços aparecem. Se seu IP está na Nova Zelândia há dois outros preços 99 e 139 NZD, para o mesmo trajeto e assento. É inacreditável, leia isto: http://www.seat61.com/TranzAlpine.htm#.VxqodUfNzIC . Diante disto contornei o problema instalando no Chrome a extensão ola.org que permitiu a compra na tarifa 99 NZD. O Cruzeiro no Milford Sound deve ser comprado com antecedência e optei por um com 2,5 horas de duração, sem pernoite ou refeição. Faremos um único pernoite em Christchurch onde nos hospedaremos no Novotel com reserva direta no site da Accor. Não teremos carro alugado nos valendo do transporte com taxi, nesta cidade não tão grande. Na noite seguinte pegaremos um voo da Air New Zealand, em um A320, em classe única rumo a Auckland.


Chegando novamente a Auckland, pernoitaremos no Novotel Auckland Airport para no dia seguinte decolarmos num A332 da Qantas em voo direto para Perth no Oeste Australiano. Nesse voo de 7.15 h voarei na nova classe executiva da Qantas. Após 4 horas embarcamos no A388 da Emirates, em First Class, rumo a Dubai. Eis que a Qantas mudou o horário do voo e não teremos como chegar antes da decolagem rumo a Dubai no voo direto AKL-PER. Como esse bilhete foi emitido no Executive Club da British, após uns 10 dias, veio a resposta definitiva e fomos reacomodados em dois voos, num A333 de AKL-SYD, e depois num A332 de SYD-PER (Fico muito atento na troca de terminais internacional-domestico em Sydney, pois perder voos lá é MUITO comum se o tempo for pequeno entre voos). Ficaremos no lounge de First Class da Emirates por 9 horas quando decolaremos em outro A388, em First Class, rumo a Los Angeles pelo Polo Norte. Como a Emirates fornece serviço de Chauffer até 100 km do aeroporto e como o voo seria muito longo, optei por dormir num hotel próximo da nossa primeira atividade no dia seguinte que seria o Booxing Day: “compras no Outlet”. O carro alugado seria retirado na manhã seguinte no próprio hotel do pernoite e foi um Buick Lacroisse locado da Hertz por apenas 1 dia e depois entenderão porquê. A loja da Hertz fechou e agora terei que pegar o carro no aeroporto de Oxnard. O melhor código de desconto que encontrei na Hertz foi o código da parceria com o Marriott que dava 10% de desconto. Esse carro de luxo, custou-me USD 93 por um único dia e na locação semanal os preços da Hertz estavam bem salgados para a segunda quinzena de dezembro do corrente ano. Após muita pesquisa, consegui preço muito bom na Sixt para ficar com outro carro por mais 9 dias. O carro alugado foi uma perua Mercedes GLE, ou BMW X5 ou Cadillac Escalade. Consegui carro desse nível por preço inferior ao mero Buick da Hertz. Veículos similares na Hertz pelo mesmo período chegavam a custar USD 1800 no período, mas consegui tarifa pós paga por USD 388, isso mesmo. Como consegui tal custo? Incialmente troquei pegar o veículo na loja do aeroporto de Los Angeles com a loja de Beverly Hills. Depois consegui ficar na categoria Sixt Platinum e finalmente obtive esse excepcional desconto. Usuários Sixt Platinum tem direito a duplo upgrade gratuito de categoria somente nos USA se houver veículo disponível. Vejamos o que irão me oferecer. Tenho nível Diamond na rede Hilton e numa promoção fiquei com uma diária no Hilton LAX Airport por preço irrisório e devolveria o carro no dia seguinte para pegar o a Sixt, indo para Cabazon ao sudoeste de Los Angeles, para ir a outro outlet.
A reserva em Los Angeles foi feita no Sofitel Beverly Hills onde já me hospedei há uns 4 anos quando vim de Toronto onde me hospedei no Ritz. Esse hotel 4* tem um superatendimento, comparável ao Ritz, com estrutura inferior, mas preço alto se comparado com demais hotéis da categoria, ao custo final de USD 370 a diária, no quarto mais simples, sem café. Se você pretende se hospedar em Beverly Hills não achara custo muito diferente disso nesse nível de hotel e o atendimento será com certeza inferior. Esse hotel não tem lounge executivo. Se busca hotéis nesse nível mais barato, na região do aeroporto de Los Angeles estão na faixa de USD 180 e Long Beach USD 250. A localização deste Sofitel é excepcional. O menor preço foi encontrado no site da Accor e as diárias serão pagas com vouchers. Café da manhã é muito bom ao custo de USD 35 por pessoa/dia. O estacionamento é caro ao custo de 37 USD/dia. Os custos em Beverly Hills são altos.
Reservei o Tour ao Universal Studios via internet. Antes de realizar uma reserva via internet, acesso o Google e digito discount code + o nome do local e com imensa frequência encontro código de desconto com pequenos a consideráveis valores. Para a reserva seguinte, Warner Studios encontrei desconto de 10 USD no ticket. Ambos os estudos enviam os tickets no seu e mail, entretanto o da Warner demora exatos 4 dias (nunca tinha me deparado com isso, toda reserva sempre é seguida de envio imediato do ticket no seu e mail). Logo, se deixar para reservar o ticket na última hora pode ficar com a reserva debitada no seu cartão e sem o e-ticket ainda, um problema! Os dois tickets podem ser comprados nas bilheterias locais, mas em função da proximidade do réveillon e as visitas, não optei por arriscar em filas no dia. No segundo estúdio se optar por tour em espanhol o mesmo só é disponível de segunda a sexta.
Todas as demais reservas serão feitas em cash no momento de desfrutar a atração ou no caso de sites de descontos com 60 dias aproximados da data, quando os ingressos com tais descontos podem ser adquiridos.


Nosso retorno de LAX a GRU, será com a Avianca via Bogotá. No primeiro trecho de 788, em poltrona full flat bed, e no segundo trecho num A 332 também em executiva, porém assento recliner seat. A conexão em Bogotá será de 3 h. e nunca viajamos na Avianca.
*Todas as informações deste post são válidas na data em que foi escrito.